17
set

Entidades e movimentos estudantis esquecem os 40 anos da Greve da Meia-Passagem

Embora tenham ignorado comemoração, entidades têm recebido milhões por meio de emissão de carteiras de estudantes.

Figuras hoje de relevo na política, na Magistratura e em outras áreas estiveram à frente do movimento.

Figuras hoje de relevo na política, na Magistratura e em outras áreas estiveram à frente do movimento.

Nenhuma das entidades ou movimentos estudantis da capital celebraram os 40 anos da Greve da Meia-Passagem comemorada nesta terça-feira, dia 17. Não se teve notícia de ao menos uma mesa redonda em recordação as quatro décadas do ato histórico daquele 17 de setembro de 1979.

Na época, a  cidade estava imbuída no sentimento de reivindicação de um movimento que se iniciou dias antes em protesto pelo aumento da passagem concedido de surpresa pelo então prefeito da cidade Mauro Fecury. Naquele dia, centenas de jovens, estudantes, professores, trabalhadores foram às ruas da cidade de São Luís protestar contra o aumento, o terceiro naquele ano.

O movimento foi um dos de maior mobilização já registrados na história maranhense. E teve como lideranças estudantes universitários, que obtiveram o apoio de professores e trabalhadores. Aproximadamente 15 mil pessoas ocuparam as ruas da capital em protesto. A greve foi marcada por forte repressão policial às passeatas e assembleias.

A lendária Greve da Meia Passagem se tornou histórica pelos confrontos entre os grevistas e as polícias Civil e Militar, com registros de prisões, torturas, perseguições, ônibus e até viaturas policiais incendiadas.

O governador do Estado era João  Castelo,  pagaria pelo resto da vida uma culpa por haver colocado as forças de segurança para reprimir a greve.

Diante da conquista história esperava-se que as entidades organizassem grandes movimentos neste dia, mas não!

Falta de dinheiro para organizar não é, mesmo porque os cofres das entidades da capital estão abarrotadas de recursos [leia-se milhões] oriundos da emissão de carteiras estudantis secundaristas e universitárias R$ 18 e 25 reais, respectivamente.

Mas esse é outro assunto que conto com mais detalhes depois…

Registro fotográfico histórico da proporção da greve da meia passagem em São Luís.

Registro fotográfico histórico da proporção da greve da meia passagem em São Luís; A greve da Meia Passagem é um marco histórico em São Luís em se tratando de movimentos populares.

2 Comentários

  1. jucelito barbosa fontes disse:

    Amigo,sei que voce gosta de ilustrar suas materias com fotos ,mas nao precisava exagerar.essa foto não é de sao luis.repare nos predios,nos modelos dos veiculos e principalmente nas pessoas.estao de agasalhos,roupas de frio.

  2. junior disse:

    Essa foto deve ser de uma cidade localizada em outro país.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894
Celular: (98) 98160-1081

RÁDIO TIMBIRA

https://www.ma.gov.br/wp-content/uploads/2018/07/Timbira-Banner-player-2018.gif?w=700

Publicidade